sexta-feira, 30 de novembro de 2007

Consciência Ambiental - Lixo

Toda atividade que as pessoas fazem no dia a dia gera lixo. No Brasil a quantidade de lixo gerada por uma pessoa é de cerca de 700g, número este que pode chegar a 1kg nos grandes centros. Faça a conta desse valor desse valor multiplicado por 180 milhões de habitantes que existe no Brasil. Isso mesmo é realmente assustador.

Mas cada um pode fazer sua parte com pequenos gestos que somados se transformam e um número significante.

Um gesto muito simples e educado é não jogar o lixo pela janela do carro, melhor colocar em uma sacola dentro do veículo e encaminhar para coleta de lixo ao chegar em casa.

Outro gesto bastante simples, porém muito importante é o descarte de óleo de cozinha. Pare de descartar este óleo no esgoto, coloque em uma garrafa pet e encaminhe para coleta de lixo. O impacto do óleo na terra é bem menor do que na água. Alguns municípios já dispõe de um sistema de coleta de óleo para produção de biodiesel.

Mais uma dica bem simples, quando for fazer um passeio com a família na beira de um rio por exemplo. Leve sacos de lixo e recolha os resíduos gerados, nunca deixe o lixo poluindo as margens do rio.

Vamos todos fazer nossa parte para preservar o meio ambiente para que nossos filhos tenham um meio ambiente digno de se viver.

quarta-feira, 28 de novembro de 2007

Diamante de Hommel

Pessoal hoje vamos falar um pouco sobre o Diamante de Hommel.

O Diamante de Hommel não informa qual é a substância química, mas representa todos os riscos envolvendo um produto químico:


Veja abaixo os riscos representados:







INFLAMABILIDADE – VERMELHO

4 – PERIGO: Gás inflamável ou líquido extremamente inflamável
3 – CUIDADO: Líquido inflamável. Ponto de fulgor abaixo de 38ºC
2 – CUIDADO: Líquido combustível. Ponto de fulgor de 38ºC à 94ºC.
1 – COMBUSTÍVEL: Se aquecido
0 – Não é combustível

RISCO À SAÚDE – AZUL

4 – PERIGO: Pode ser fatal em curta exposição
3 – CUIDADO: Corrosivo ou tóxico. Evite contato com a pele ou inalação.
2 – CUIDADO: pode ser nocivo se inalado ou absorvido
1 – CUIDADO: Pode causar irritação
0 – Não oferece perigo

RISCO DE INSTABILIDADE – AMARELO

4 – PERIGO: Material explosivo à temperatura ambiente
3 – PERIGO: Pode ser explosivo se sofrer impacto ou for aquecido sob confinamento, ou misturado com água.
2 – CUIDADO: Instável ou pode reagir se misturado com água.
1 – CUIDADO: Pode reagir se aquecido ou misturado com água.
0 – Estável. Não reage quando misturado com água.

RISCO ESPECÍFICO – BRANCO

ACID – Ácido
ALK – Álcali
COR – Corrosivo
OXI – Oxidante
NOC – Nocivo
TOX – Tóxico

A utilização do Diamante de Hommel juntamente com um treinamento para todos os funcionários da empresa pode ajudar a reduzir o número de acidentes envolvendo os funcionários e produtos químicos.
Entretanto deve ser utilizadas outras formas de sinalização tais como: placas de PERIGO; de CORROSIVO; de INFLAMÁVEL etc.

Veja abaixo um exemplo do DIAMANTE de HOMMEL para o ácido sulfúrico.



Para maiores informações entre em contato aalvessantos46@gmail.com

quinta-feira, 22 de novembro de 2007

Resíduos de óleos lubrificantes

O que fazer com os resíduos de óleos lubrificantes?

Um dos grandes problemas que as empresas enfrentam atualmente para implantação de um sistema de gestão ambiental é a geração de resíduos de óleos lubrificantes.
Estes resíduos são:

Óleos;
Graxas;
Estopas contaminadas com óleo e graxas;
Serragem utilizada para contenção;
Panos contaminados com óleos e graxas;

A Portaria MINFRA nº 727, de 31 de julho de 1990 diz que:

A empresa deve – Destinar óleos lubrificantes minerais usados ou contaminados para o rerrefino ou, excepcionalmente, para utilização ambientalmente adequada, autorizada formalmente pelo órgão ambiental competente.

No Brasil existe várias empresas que faz este tipo de tratamento de resíduos. Entre no site da Agência Nacional do Petróleo – ANP - e verifique a lista e empresa autorizadas.

O primeiro passo para implantar um sistema de gerenciamento de resíduos é criar o procedimento que deve ser seguido. Definindo a forma de:

reaproveitamento
reciclagem
co-processamento
incineração
inertização
disposição final (aterro controlado, etc).

Após criado o procedimento deve se escolher a empresa que vai receber o resíduo de óleo lubrificante, verificando a licença ambiental, e registro da empresa e dos veículos utilizados para coleta junto ao órgão ambiental competente.

Solicitar a emissão do CADRI – Certificado de Aprovação para Destinação de Resíduos Industriais – junto ao órgão ambiental competente.

O atendimento deste requisito legal é um importante passo para implantar um Sistema de Gestão Ambiental ISO 9001.





segunda-feira, 19 de novembro de 2007

Lâmpadas Fluorescentes

Atualmente no Brasil são consumidas cerca de 100 milhões de lâmpadas fluorescentes por ano. Deste total 94% são descartadas em aterros sanitários e sem nenhum tipo de tratamento, contaminando o solo e a água.

Existem lâmpadas fluorescentes com vapores de sódio, de mercúrio e mista. O mercúrio por sua vez apesar se ser um elemento natural encontrado na natureza, pode ser muito nocivo aos seres vivos, e quando penetra na cadeia alimentar é muito prejudicial à saúde humana.

A ABNT NBR 10004 define a periculosidade de diversos elementos e substâncias químicas e estabelece limites admissíveis para seus contaminantes serem dispostos no meio ambiente.

Um requisito necessário a se cumprir para conseguir a certificação ISSO 14001 é o gerenciamento dos resíduos sólidos. Para se implantar um sistema de gerenciamento de lâmpadas fluorescentes dentro de uma empresa primeiramente devemos conscientizar os trabalhadores de não jogar estas lâmpadas em lixo comum.

As lâmpadas queimadas devem ser guardadas (se possível na própria embalagem para facilitar o transporte) para acumular um volume significativo para serem enviadas para descontaminação.

No Brasil existem várias empresas que faz este trabalho de descontaminação de lâmpadas fluorescentes, implante este sistema em sua empresa que o Meio Ambiente agradece.

terça-feira, 13 de novembro de 2007

Implantação de coleta seletiva

A implantação de coleta seletiva de lixo se baseia em três etapas a serem cumpridas: destinação do lixo, conscientização do pessoal e instalação de lixeiras.

1ª Etapa

Defina a forma que o lixo vai ser destinado, procure empresas recicladoras, cooperativas de catadores de lixo, processadores de resíduos, e formalize uma forma de encaminhar este lixo para reciclagem.

2ª Etapa

Após estar definido a forma de destinação deve ser feito a grande conscientização dos funcionários, invista em treinamentos, banners, gincanas e concursos que demonstre as vantagens da reciclagem, do uso correto dos recursos naturais e a não poluição do meio ambiente.

Como forma de incentivo pode ser negociado com a direção da empresa em converter a verba arrecadada com a venda do material reciclável para investir em material de segurança do trabalho (EPI, EPC etc) e em manutenção de lixeiras, compra de sacos de lixo coloridos para facilitar a separação do lixo. Esta verba deve ser administrada pela CIPA.

3ª Etapa



Nesta etapa deve ser a fase de implantação das lixeiras para coleta seletiva. Defina pontos estratégicos dentro da empresa e instale os coletores de lixo para papel, plástico, vidro, metal, orgânico, pilhas e baterias.


Separe o lixo reciclável do lixo não reciclável, é aconselhável que seja definido uma área dentro da empresa para armazenar o lixo reciclável a fim de economizar no transporte do lixo.


Seja um editor do Ambientalsan

O Ambientalsan convida a todos os interessados em participar do blog a ser um editor.
Para participar envie um e-mail para aalvessantos46@gmail.com solicitando ser editor.

Abraço a todos